Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008

MARINHO PINTO DIZ À RTP QUE PROCESSO CASA PIA VISOU «DECAPITAR O PARTIDO SOCIALISTA»

O bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho Pinto, afirma ainda no programa Grande Entrevista da RTP, a ser transmitido hoje, que algumas detenções realizadas no decurso do processo Casa Pia visaram «decapitar o Partido Socialista»

Entrevistado por Judite de Sousa, Marinho Pinto considerou que tais acções foram orientadas nesse sentido pela Polícia Judiciária (PJ).

O bastonário mostrou-se muito crítico em relação ao processo Casa Pia, dizendo, segundo o site da RTP: «Acusou-se impunemente. Prendeu-se impunemente pessoas que estavam inocentes. Mal chegaram à presença de um juiz foram imediatamente exculpados».

«Aquilo visou decapitar o Partido Socialista (PS), não tenho dúvidas nenhumas. Aquilo esfrangalhou a direcção do Partido Socialista», acrescentou.

Em sua opinião, as detenções foram orientadas politicamente pela Polícia Judiciária, alegando: «Foi orientado nesse sentido. Até ao líder do PS lançaram-se suspeitas».

in “SOL” - 31/01/2008

publicado por Manuel M. Oliveira às 22:47
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 29 de Janeiro de 2008

INCONFORMISMO

 

publicado por Manuel M. Oliveira às 22:58
link do post | comentar | favorito

ODE

 

Não só quando estamos sós, a solidão é
Tudo o que nos resta.
Quando somos muitos,
Num convívio, num meeting, numa festa,
E nada nos prende, nada se troca sem darmos,
A solidão é, ainda mais,
Tudo o que nos resta.
A vida, assim, não presta, não é nada.
É uma vida parada.
Existir, sim, mas também viver, ser gente.
Dar vida a quem não tem um jardim,
De repente,
É urgente!

Manuel M. Oliveira

publicado por Manuel M. Oliveira às 22:56
link do post | comentar | favorito

QUE O POEMA … PONHA SINOS A TOCAR DENTRO DAS ROSAS



Que o poema cante no cimo das chaminés
que se levante e faça o pino em cada praça
que diga quem eu sou e quem tu és
que não seja só mais um que passa.



Que o poema se meta nos anúncios das cidades
que seja seta sinalização radar
que o poema cante em todas as idades
(que lindo!) no presente e no futuro o verbo amar.



Que o poema seja encontro onde era despedida.
Que participe. Comunique. E destrua
para sempre a distância entre a arte e a vida.
Que salte do papel para a página da rua.



Que o poema vista de domingo cada dia
e atire foguetes para dentro do quotidiano.
Que o poema vista a prosa de poesia
ao menos uma vez em cada ano.

Que o poema faça um poeta de cada
funcionário já farto de funcionar.
Ah que de novo acorde no lusíada
a saudade do novo o desejo de achar.

Que o poema diga o que é preciso
que chegue disfarçado ao pé de ti
e aponte a terra que tu pisas e eu piso.
E que o poema diga: o longe é aqui.

 

Manuel Alegre
“ Poemarma ” dito por Mário Viegas


publicado por Manuel M. Oliveira às 22:51
link do post | comentar | favorito

FALTOU AMORTECER O CHOQUE DA REFORMA

Toda e qualquer grande reforma tem custos. Quando se trata de modernizar, tornar mais eficaz e, sobretudo, digno um sistema como o de saúde, esses custos ganham uma visibilidade sem par. É o que está a acontecer com as sucessivas polémicas em redor do fecho de urgências, maternidades, SAP e emergências. A comissão que estudou a reorganização dos serviços e o Ministério da Saúde, que está a implementar as mudanças, cometeram vários erros. Não levaram em linha de conta a logística local dos cuidados de saúde, tão importantes nos equilíbrios regionais das populações, e ignoraram a segurança, muitas vezes meramente psicológica, de ter um médico ao pé, ainda que sirva apenas para reencaminhar ou ouvir. Bastava ter acautelado um serviço intermédio, durante a transição, que amortecesse o choque da mudança. E todos estariam a aplaudir uma reforma urgente, essencial e que só peca por chegar tão tarde.

 

Filomena Martins

in “Global Notícias”

de 29/01/2008

publicado por Manuel M. Oliveira às 22:26
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2008

MEMÓRIAS NA INTERNET DE MARIA DE LOURDES PINTASILGO

Uma grande mulher

 

O Centro de Documentação e de Publicações da Fundação Cuidar O Futuro, uma instituição de direito privado sem fins lucrativos, da qual Maria de Lourdes Pintasilgo (1930-2004) foi a primeira Presidente, colocou na Internet o acervo documental, mais de 10 mil documentos e 400 fotografias  daquela que foi a primeira e única mulher que chefiou um Governo em Portugal - Primeira Ministra entre 1979-1980.

O arquivo, que só poderá ser consultado na íntegra na sede da fundação, «ilustra com documentos históricos específicos as etapas da vida» de Maria de Lourdes Pintasilgo.

Este projecto teve o apoio do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento e a cooperação da Fundação Mário Soares que digitalizou a documentação.

 

www.arquivopintasilgo.pt

publicado por Manuel M. Oliveira às 21:09
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

UMA FLOR DE VERDE PINHO

 

Eu podia chamar-te pátria minha
dar-te o mais lindo nome português
podia dar-te um nome de rainha
que este amor é de Pedro por Inês.

Mas não há forma não há verso não há leito
para este fogo amor para este rio.
Como dizer um coração fora do peito?
Meu amor transbordou. E eu sem navio.

Gostar de ti é um poema que não digo
que não há taça amor para este vinho
não há guitarra nem cantar de amigo
não há flor não há flor de verde pinho.

Não há barco nem trigo não há trevo
não há palavras para dizer esta canção.
Gostar de ti é um poema que não escrevo.
Que há um rio sem leito. E eu sem coração.

 

Manuel Alegre

Música: José Niza

 

publicado por Manuel M. Oliveira às 21:41
link do post | comentar | favorito

CONHEÇO O SAL...

 

Conheço o sal da tua pele seca
depois que o estio se volveu Inverno
da carne repousando em suor nocturno.

Conheço o sal do leite que bebemos
quando das bocas se estreitavam lábios
e o coração no sexo palpitava.

Conheço o sal dos teus cabelos negros
ou louros ou cinzentos que se enrolam
neste dormir de brilhos azulados.

Conheço o sal que resta em minhas mãos
como nas praias o perfume fica
quando a maré desceu e se retrai.

Conheço o sal da tua boca, o sal
da tua língua, o sal de teus mamilos,
e o da cintura se encurvando de ancas.

A todo o sal conheço que é só teu,
ou é de mim em ti, ou é de ti em mim,
um cristalino pó de amantes enlaçados.

 

Jorge de Sena

 

 

publicado por Manuel M. Oliveira às 21:40
link do post | comentar | favorito

RELÍQUIA

 

Era de minha mãe: é um pobre xale,
Que tem p’ra mim uma carícia de asa.
Vou-lhe pedir ainda que me fale
da que ele agasalhou em nossa casa.

Na sua trama, já puída e lassa,
Deixo os meus dedos p’ra senti-la ainda;
E Ela vem, é Ela que me abraça,
Fala de coisas que a saudade alinda.

É a minha mãe mais perto, mais pertinho,
Que eu sinto quando toco o velho xale,
Que guarda não sei quê do seu carinho.

E quando a vida mais me dói, no escuro,
Sinto ao tocá-la como alguém que embale
E beije a minha sede de amor puro.


António Patrício
in “Poesias”

publicado por Manuel M. Oliveira às 21:26
link do post | comentar | favorito

PRIMEIRO ABRIL

 

Ah! Como eu recordo aquela linda madrugada,
Aqueles dias tão cheios de sol seguidos,
Aquelas horas, poucas, do primeiro Abril,
Cumprindo-nos Homens, sendo gente !...

Ah ! Esse ontem quero que seja sempre hoje !


Manuel M. Oliveira

publicado por Manuel M. Oliveira às 21:21
link do post | comentar | favorito
Sábado, 19 de Janeiro de 2008

NÃO SOU POETA, NÃO !

 

Não sou poeta, não !

Vagueio à procura da poesia,
Sou o pensamento que desperta
No anseio da maresia em que se vive
A forma do Eu ser livre!

Não sou poeta, não !

Se disseram que o sou, enganam-se.
Poesia ? Não consigo !
Mas sigo o seu caminho,
Bebo o vinho das palavras que escrevo,
Pois ela é a minha evasão !

Não sou poeta, não !

Manuel M. Oliveira

publicado por Manuel M. Oliveira às 19:28
link do post | comentar | favorito

EMBRIAGADOS


Embriagados,

Pelos cartazes das esquinas,
Pelos cartazes das esquinas,

Pelos slogans,
Pelos slogans,

Pelos reclames televisivos,
Pelos reclames televisivos,

“Temos que viver com aquilo que temos!...” 

E o que temos?
Estamos nus e gramámos!...

“Beba Pepsi-Cola, a alegria de viver!”

Bebemos, e a alegria?
Temos sede e suicidámo-nos!...

Manuel M. Oliveira

publicado por Manuel M. Oliveira às 19:28
link do post | comentar | favorito

GOVERNO, LEIS LABORAIS, CHOQUES, ...




publicado por Manuel M. Oliveira às 19:08
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008

ARY DOS SANTOS

 

Cavalo à Solta

Minha laranja amarga e doce

meu poema

feito de gomos de saudade

minha pena

pesada e leve

secreta e pura

minha passagem para o breve breve

instante da loucura.

 

Minha ousadia

meu galope

minha rédea

meu potro doido

minha chama

minha réstia

de luz intensa

de voz aberta

minha denúncia do que pensa

do que sente a gente certa.

 

Em ti respiro

em ti eu provo

por ti consigo

esta força que de novo

em ti persigo

em ti percorro

cavalo à solta

pela margem do teu corpo.

 

Minha alegria

minha amargura

minha coragem de correr contra a ternura.

 

Por isso digo

canção castigo

amêndoa travo corpo alma amante amigo

por isso canto

por isso digo

alpendre casa cama arca do meu trigo.

 

Meu desafio

minha aventura

minha coragem de correr contra a ternura.


 
FERNANDO  TORDO

publicado por Manuel M. Oliveira às 18:40
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2008

O AMOR É UMA COMPANHIA

companhia.jpg

“O amor é uma companhia.

Já não sei andar só pelos caminhos.”


Fernando Pessoa

publicado por Manuel M. Oliveira às 23:32
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Janeiro de 2008

PORQUE TE AMO ?

nudez.jpg

Se sou mais veloz que o Concorde,
é porque te amo

Se sou mais certo que o Big Ben,
é porque te amo

Se a minha alma cintila como as estrelas,
é porque te amo

Se o meu sangue corre quente nas veias,
é porque te amo

Se zumbo como uma abelha ébria de mel,
é porque te amo

Se o meu coração dá voltas como um volante louco,
é porque te amo

E, porque te amo,
quero fazer contigo
o que a Primavera faz com as cerejeiras !


Manuel M. Oliveira

publicado por Manuel M. Oliveira às 23:35
link do post | comentar | favorito

EDITORIAL - post 1 da 1ª Edição

Iniciamos a 2ª edição do 2 Dedos de Prosa e Poesia transcrevendo o texto do Editorial da 1ª edição, postado há três anos. Os textos seguintes são uma mão cheia de posts que consideramos os mais significativos publicados ao longo desse periodo.

 

"Queremos dar dois dedos de prosa e poesia para estar a dois dedos de vocês, e  porque pensamos ter dedo para pôr o dedo na ferida sem meter os dedos pelos olhos."

2Dedos

P.S.:

Dar dois dedos de conversa: conversar um pouco

Estar a dois dedos: estar muito perto

Ter dedo para alguma coisa: ter habilidade ou jeito

Pôr o dedo na ferida: mostrar, tocar o ponto fraco

Meter os dedos pelos olhos a alguém: obrigar alguém a ver e a julgar de certa maneira

para não sermos dúbios

publicado por Manuel M. Oliveira às 00:13
link do post | comentar | favorito
zeca.jpg




# # online #

dois_dedos@hotmail.com

Blog anterior
2 Dedos (1)


Tempo em Gondomar

»Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

»Agenda


»Frase


"A vida é uma pedra de amolar: ela vos desgasta ou afia, conforme o metal de que sois feitos."

Bernard Shaw

»Música




"Vamos fazer o que ainda não foi feito"
PEDRO ABRUNHOSA

»Posts recentes

» Nós também somos da esque...

» Construir o Futuro.

» Defender Portugal

» DIA 05.JUNHO, VOTA PS!

» JOSÉ SÓCRATES EM ARRUADA ...

» ...

» ...

» ...

» ...

» ...

» ...

» ...

»Arquivos

» Junho 2011

» Maio 2011

» Abril 2011

» Março 2011

» Fevereiro 2011

» Janeiro 2011

» Dezembro 2010

» Novembro 2010

» Outubro 2010

» Setembro 2010

» Agosto 2010

» Julho 2010

» Junho 2010

» Maio 2010

» Abril 2010

» Março 2010

» Fevereiro 2010

» Janeiro 2010

» Dezembro 2009

» Novembro 2009

» Outubro 2009

» Setembro 2009

» Agosto 2009

» Julho 2009

» Junho 2009

» Maio 2009

» Abril 2009

» Fevereiro 2009

» Janeiro 2009

» Dezembro 2008

» Novembro 2008

» Outubro 2008

» Setembro 2008

» Agosto 2008

» Julho 2008

» Junho 2008

» Maio 2008

» Abril 2008

» Março 2008

» Fevereiro 2008

» Janeiro 2008

»Dedilhamos

»Pesquisar no blog

 
Força

Portugal! Portugal!
bandportugal.gif
Portugal! Portugal!
povo.jpg

»Projecto Esperança