Domingo, 25 de Janeiro de 2009

Aparições e apresentações

As "tias" que andam pelo social e saltam de festa em festa emprestando a sua presença para que o dono da casa pareça estar "in" cobram por isso e, no "meio", chama-se a esse tipo de actividade uma "aparição".

 

Aparecer ali ou acolá custa dinheiro. A vida tem destas desigualdades e injustiças. Há quem se esfarrape toda a vida, cumpra com os seus deveres religiosamente e não consiga passar da cepa torta. Mas uma "tia" bem "apessoada" consegue sempre safar-se se quiser alinhar neste esquema das "aparições". Há umas quantas que, não tendo onde cair mortas, emprestam o seu corpinho a esta ou aquela loja para fazerem de cabide, isto é, para usarem e mostrarem a roupa que não podem pagar mas que outras, possivelmente menos "tias", pagarão depois de verem a roupinha numa qualquer aparição.

 

É assim o mundo de hoje. E dá alguma raiva, nos tempos difíceis que correm, que esta gente se vá safando. Em boa verdade nada fazem de mal, a não ser fingir ter mais do que têm, encenar um ambiente que é irreal e sacar umas coroas cuja única ilegalidade é fugirem ao Fisco, certamente porque "aparição" não consta de nenhuma profissão oficialmente catalogada.

 

Bem mais grave é o que se passa no mundo dos negócios. Se as "tias" aparecem, no mundo dos negócios há mil formas de cobrar. E a diferença é que muitas vezes se pisa o risco e a actividade torna-se ilegal. Um homem de negócios não faz - creio eu - aparições. Mas alguns dedicam-se a fazer apresentações, mediar encontros e achar-se no direito de cobrar por isso. Possivelmente com toda a legalidade do seu lado.

 

A história do tio de Sócrates, independentemente do que valha, vale por isso. Ser fulano ou beltrano, pouco importa, o que vale é ser tio ou primo de. Em Portugal a actividade de lóbi não está regulamentada. E era melhor que estivesse, porque tudo seria mais claro. Infelizmente, vivemos numa sociedade que é pouco transparente, que aceita apresentações e aparições, e que não raras vezes não premeia nem promove o mérito. Uma sociedade assim só pode caminhar a passos largos para a decadência, cavar cada vez mais fundo a distância entre os que muito têm e os que, trabalhando muito, não conseguem aparecer um degrauzinho mais acima.

 

in “Jornal de Noticias” de 25/01/2009
publicado por Manuel M. Oliveira às 23:02
link do post | comentar | favorito
zeca.jpg




# # online #

dois_dedos@hotmail.com

Blog anterior
2 Dedos (1)


Tempo em Gondomar

»Junho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

»Agenda


»Frase


"A vida é uma pedra de amolar: ela vos desgasta ou afia, conforme o metal de que sois feitos."

Bernard Shaw

»Música




"Vamos fazer o que ainda não foi feito"
PEDRO ABRUNHOSA

»Posts recentes

» Nós também somos da esque...

» Construir o Futuro.

» Defender Portugal

» DIA 05.JUNHO, VOTA PS!

» JOSÉ SÓCRATES EM ARRUADA ...

» ...

» ...

» ...

» ...

» ...

» ...

» ...

»Arquivos

» Junho 2011

» Maio 2011

» Abril 2011

» Março 2011

» Fevereiro 2011

» Janeiro 2011

» Dezembro 2010

» Novembro 2010

» Outubro 2010

» Setembro 2010

» Agosto 2010

» Julho 2010

» Junho 2010

» Maio 2010

» Abril 2010

» Março 2010

» Fevereiro 2010

» Janeiro 2010

» Dezembro 2009

» Novembro 2009

» Outubro 2009

» Setembro 2009

» Agosto 2009

» Julho 2009

» Junho 2009

» Maio 2009

» Abril 2009

» Fevereiro 2009

» Janeiro 2009

» Dezembro 2008

» Novembro 2008

» Outubro 2008

» Setembro 2008

» Agosto 2008

» Julho 2008

» Junho 2008

» Maio 2008

» Abril 2008

» Março 2008

» Fevereiro 2008

» Janeiro 2008

»Dedilhamos

»Pesquisar no blog

 
Força

Portugal! Portugal!
bandportugal.gif
Portugal! Portugal!
povo.jpg

»Projecto Esperança